RSS

Arquivo da categoria: Turismo

10 lugares imperdíveis em Joanesburgo por Adriana Bittar

Eu morei em Joanesburgo dois anos. Tenho um carinho imenso por essa cidade da qual muitos fogem em roteiros turísticos pela África do Sul. E é exatamente por essa impressão errada que as pessoas costumam ter de lá que eu resolvi estrear a seção falando sobre Joburg.

mandelasquare

Eu e meus pais na Mandela Square

É nessa praça que fica a famosa estátua de bronze de Nelson Mandela. A Nelson Mandela Square é conectada a um dos Shoppings mais conhecidos da cidade, o Sandton City, que aliás, eu adooooro! Não dá pra ir a Joanesburgo e não tirar uma foto ao lado da estátua de Madiba, como ele é carinhosamente chamado por lá. Ela é monumental: tem 6 metros de altura. Depois de tirar, ou melhor, tentar enquadrar a estatua pra caber na foto, vale almoçar ou jantar na praça. Tem vários restaurantes incríveis. Meus favoritos: The Butcher e Montego Bay.

Arts On Main é um mercado de comida de rua e design criativo. Um lugar super descolado que funciona num galpão no centro de Joanesburgo. Aliás, o lugar faz parte da revitalização de downtown, que por ser uma área bastante deteriorada não costumava atrair muitos visitantes. Lá você encontra de tudo: roupas de jovens estilistas, enfeites para casa, bijuterias, artesanatos modernos, além de muitas comidinhas deliciosas.
Funciona só aos domingos , das 10h00 às 15h00.

lionpark

Essa foto foi durante a Copa de 2010. Estou na área de filhotes do Lion Park

Esse é um dos principais pontos turísticos de Joanesburgo. Todo brasileiro que mora na cidade leva os visitantes para conhecer o Lion Park porque é realmente imperdível. São várias atrações. Você pode fazer um mini-safári com o seu próprio carro ou em grupo, com o veículo do parque. Pode alimentar girafas e interagir com filhotes de leão. Pagando um valor à parte, você pode caminhar ao lado de guepardos e leões. Uma dica: vá na hora do almoço dos “bichanos”, perto do meio-dia. É incrível ver os predadores em ação. Aberto todos os dias das 8h00 às 21h00.

museudoapartheid

Museu do Apartheid

Já na entrada uma reflexão. Você vai ter uma ideia do que foi o Apartheid para os sul-africanos. O bilhete comprado indica aleatoriamente se você segue pela entrada de “brancos” ou “não brancos”.  Lá dentro do Museu do Apartheid, 22 painéis contam toda a história do regime racista que persistiu por 42 anos, de 1948 a 1990. Há também objetos e filmes. Imperdível para quem gosta de história e quer entender um pouco mais dessa passagem tão cruel do País. Reserve metade do dia para o passeio, pois há muita coisa pra ver e o lugar é um pouco afastado.

melrosearch

O Melrose Arch é um complexo que engloba lojas de rua, um pequeno shopping, restaurantes, uma praça super gostosa e alguns hotéis de luxo. Já vou logo avisando que boa parte do comércio dali pode ser encontrada em outros pontos de Joanesburgo. Mas o local é tão charmoso que vale a visita. Bater perna, tomar um café e conhecer um pouco mais da cidade. Por que não?

montecasino

A Praça Central do Montecasino que dá acesso aos hotéis. Foto: Alexandre Suplicy

Como o próprio nome diz Montecasino é um cassino de verdade. Eu só me arrisquei até hoje nas maquininhas…  Mas se você não gosta de apostar vai ter muito o que fazer por lá. O complexo lembra uma vila italiana, desde o chão até o teto, pintado como se fosse o céu da Toscana. Há restaurantes de todos os tipos, cinema, teatro, games e claro… lojas. Na área externa acontecem alguns eventos super bacanas e há também bares e restaurantes.

botanicalgarden

Um piquenique no Jardim Botânico

Pra quem adora verde e natureza fica a dica do Emmarentia Park and Botanical Gardens. São 7 jardins diferentes, entre eles o de Ervas, de Suculentas, de Rosas e o Jardim de Shakespeare. Alguns só podem ser visitados com horário agendado. Você pode alimentar os gansos e fazer caminhada. Mas o melhor programa, pra mim, é ir ao Jardim Botânico para  um piquenique, costume bem típico dos sul-africanos. Outro detalhe que amo é o horário de funcionamento: do nascer ao pôr-do-sol.

feirinhaderosebank

Escolhendo uma máscara africana

O melhor lugar pra comprar artesanato, lembrancinhas, enfeites e exercitar a arte de pechinchar!!!! Pechinchar muito… E não se preocupe, pois os vendedores adoram negociar. Se você se fizer de difícil então… Vai sair da Feirinha de Artesanato de Rosebank com ótimas aquisições. Aliás, é impossível ir embora sem ao menos comprar um animal entalhado na madeira ou um colar. Leve dinheiro trocado. É mais fácil ganhar desconto.

cradleofhumankind

No Museu do Cradle of Humankind. Foto: Alexandre Suplicy

A área de 47 mil hectares é impactante não pelo tamanho e sim por sua importância na história. O lugar foi declarado Patrimônio Histórico pela UNESCO, em 1999. O Cradle of Humankind ou O Berço da Humanidade engloba um complexo de cavernas e um Museu. Foi na caverna de Sterkfontein que o fóssil da “sra. Ples”, de 2.3 milhões de anos foi encontrado, na década de 40. Lá também já foram encontrados mais de 1500 fósseis de hominídeos, os nossos ancestrais. O Museu tem uma exposição de fósseis originais e réplicas dos hominídeos. O lugar é simplesmente incrível e leva você a uma viagem sensorial pelo tempo. Vale a pena fazer todos os passeios: os locais de escavação, as cavernas e o Museu. Vá com sapatos confortáveis e leve um casaco para aguentar o friozinho da caverna.

soweto

Orlando Towers. Foto: Alexandre Suplicy

Muita gente me pergunta se vale a pena conhecer o Soweto, por ser uma favela e a gente aqui no Brasil já estar bem familiarizado com elas. A minha resposta é sempre: Sim. Sim. Sim. Vale muito a pena! Primeiro porque o Soweto não tem nada a ver com o que a gente já conhece. Segundo porque ele é parte importante da história e da cultura de um País. Terceiro porque o Soweto é  hype, moderno, descolado e seguro! Você com certeza vai se surpreender e se divertir. Há museus, como o Mandela House, onde Nelson Mandela viveu por 16 anos e, na mesma rua a casa do arcebispo Desmond Tutu. Aliás, a Vilakazi Street é a única rua do mundo onde já viveram dois ganhadores do Prêmio Nobel da Paz. É possível experimentar comidas típicas, saltar de Bungee Jump na colorida Orlando Towers ou ainda assistir a uma partida de futebol entre Kaizer Chiefs e Orlando Pirates, o clássico local.

 

 

 

Tags: , , , , , ,

Vídeo

2 anos morando na África do Sul

Em dezembro de 2012, após 2 anos morando em Joanesburgo retornei para o Brasil.
Foi uma experiência incrível, recomendo muito!
É ótimo para abrir a cabeça, melhorar o inglês, conhecer novas culturas e pensar em novas oportunidades.
Este vídeo é uma retrospectiva desses 2 anos que morei com a minha mulher lá na África do Sul.

Ainda tenho muitas dicas que pretendo postar aqui.
Através deste blog fiz muitas amizades e conheci pessoas maravilhosas.

Aqui varias fotos que fiz por lá: http://instagram.com/alesuplicy

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Tugela Falls – Segunda cachoeira mais alta do mundo

Quarta-feira fui de moto para Tugela Falls, a segunda mais alta cachoeira do mundo.

Ela só perde para Angel Falls na Venezuela, e por poucos metros, ela tem 948 m contra 979 m da Venezuela.

Fica em KwaZulu-Natal na cordilheira de Drakensberg na fronteira com o Lesotho.

É um lugar maravilhoso, as montanhas cobertas de neve não lembram em nada a África do Sul.

Ela é muito pouco divulgada, mas agora está sobre nova direção que promete equipar melhor o lugar.

São 360km de Johannesburg, numa rota maravilhosa.

Para entrar no parque, você paga por volta de R$ 10,00 e lá você tem 3 opções, passar o dia, dormir no lodge ou dormir na base que tem no início da trilha, lá é apenas um quarto com cerca de 5 beliches e um banheiro, não tem luz elétrica e é congelante, como não fui preparado com sleeping bag e cobertor optei pelo lodge, custa cerca de R$ 100,00 por noite com café da manhã.

A caminhada tem cerca de 14 km para ir e mais 14 km para voltar, é íngreme e  bem esburacada.

Como fui sozinho e cheguei por volta das 14h, achei melhor não fazer a trilha completa neste dia, andei por volta de 16 km no total.

Para minha surpresa, no meio do caminho encontrei uma equipe de televisão fazendo um documentário e o apresentador é o Charley Boorman, um louco que já tinha que eu já havia visto no documentário Long Way Down, no qual ele vai da Escócia até a Africa do Sul de moto com o ator Ewan McGregor.

Comprei o DVD deste documentário antes da minha viagem pela Garden Route.

Este novo documentário se chama Extreme Frontiers – South Africa.

Ele e sua equipe foram muito simpáticos, eles foram equipados para passar a noite na cachoeira, uma loucura, nesta noite a temperatura chegou há -3 graus.

No dia seguinte peguei a trilha bem cedo, e após 16 km caminhando, me deparei com uma escada muito longa e perigosa na subida final.

Como estava sozinho, achei prudente não continuar, mas por sorte escutei a equipe que estava retornando, eles falaram para eu não prosseguir, pois era muito perigoso e a vista era pouco diferente de onde eu estava.

Então retornei com eles, o passeio é maravilhoso, vale muito a pena, mesmo que seja apenas para fazer os primeiros metros da trilha.

Espero retornar lá com mais companhia, para alcançar o cume.

Alguém interessado?

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

1.200km numa BMW em 2 dias

Esta semana realizei um sonho de infância, fazer uma viagem de moto acampando pelo caminho.

Fui sozinho, com uma BMW F650GS, uma barraca e uma bela e pesada mochila.

Imagem

Saí de Joanesburgo, na África do Sul e fui em direção a Panorama Route, no norte do país.

Esta rota é considerada uma das 10 maiores atrações da África do Sul, ela fica na região do Blyde River Canyon, o maior cânion verde do mundo, e vai até o Krugger Park.

Minha primeira parada foi após 266km em Waterval Boven, uma pequena cidade que tem uma magnífica cachoeira e um antigo túnel de trem desativado.

Por sorte os seguranças autorizaram que eu entrasse no túnel com a moto, muito legal.

Depois fui para Sudwala Caves, um conjunto de cavernas considerado um dos mais antigos do mundo, vale a pena uma visita guiada, eles tem muitas histórias para contar.

Aproveitei para almoçar por lá.

Próxima parada foi o Three Rondavels, três montanhas maravilhosas.

É um precipício inacreditável, um sonho para quem faz base jump, que não é o meu caso.

Antes, passei por God’s Window e o Pinnacle Rock, mas como estava com a mochila muito pesada, não entrei para ver, resolvi que voltaria no dia seguinte para apreciar com calma.

A maioria das atrações, como a vista para estas montanhas é paga, muito barato, por volta de R$ 2,00.

Após esta vista, fui para o Forever Resorts Blyde Canyon, um resort com chalés, restaurante e uma área para camping.

Totalizando 500km no primeiro dia.

Foi a primeira vez que acampei na vida, confesso que não gostei muito, talvez por estar sozinho.

O camping estava meio vazio, passei um pouco de frio e fiquei um pouco amedrontado, apesar de ser em um resort fechado, durante a noite é muito silêncio, quebrado apenas pelos gritos dos babuínos e pelo vento.

Na manhã seguinte fui ver o nascer do sol em uma montanha no camping que tem vista para o cânion e depois voltei para ver o God’s Window e o Pinnecle, mas infelizmente tinha uma neblina muito densa que não se enxergava dois metro à frente.

Dica: se passar por lá e o dia estiver aberto, NUNCA deixe para depois! 😦

Então fui para Lisbon Falls, Berlin Falls e Bourke’s Luck Potholes, uma formação do rio, onde a correnteza fez diversos buracos redondos nas rochas, nunca vi nada igual.

Voltei para o camping e recolhi tudo para a próxima parada, The Big Baobab, uma árvore gigante com aproximadamente 6.000 anos, ela é a única no mundo com um bar dentro.

Lá também é um camping, onde pretendia dormir, e ficava a apenas uns 180 km do resort.

Mas no meio do caminho recebi uma ligação da minha faxineira, dizendo que estava em casa e não conseguia trancar a porta de jeito nenhum, não tendo outra opção, achei melhor pedir para ela encostar a porta e voltar para casa.

Como já tinha feito um passeio grande pela manhã, o dia totalizou 700km, muito cansativo, foram quase 13 horas na moto com algumas paradas.

Mas o sonho foi realizado e pretendo voltar de carro com a minha mulher para ver este cenário novamente.

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Imagem

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Motorista em Joburg

Um dos principais problemas que vejo na África do Sul é o meio de transporte.

Para quem vem para Johannesburg os taxis são difíceis de achar e de confiar, os ônibus são perigosos e as lotações são impossíveis para os turistas.

Alugar carro não é caro, mas tem um porém, a mão inglesa, ela a primeira vista é bem confusa e desafiadora, mas no segundo dia vai ficando mais fácil.

A minha dica é um motorista que conhecemos aqui, o Sydney, ele tem uma van muito confortável, é muito simpático e pode fechar o valor por passeio ou por diária.

Ele fala inglês, português, francês e alemão.

Seguem os contatos dele:

Sydney Sachiwo

sydney@nzewetours.co.za

Para ligações do Brasil

+27 82 508 7265

+27 72 807 5961

Para ligar da África do Sul

072 807 5961

 

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

Imagens incríveis da amizade de um cachorro com um leão.

Fomos a reserva de Tshukudu a 500 quilômetros de Joanesburgo para fazer uma matéria sobre a amizade de um cão e um leão.

Foi até agora a experiência mais emocionante que tive aqui na África!

Clique aqui para ver o video no site da Record:

http://videos.r7.com/r7/service/video/playervideo.html?idMedia=4f3866163d14e7a2e7a07917&idCategory=61&embedded=true

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A estrada mais bonita que já conheci!

Neste fim de semana fomos para Durban, 570 km de Johannesburg.

Foi uma das estradas mais bonitas que conheci, ela cruza as montanhas de Drakensberg.

Fui com a Adriana Bittar e a Bettina Fiuza, uma fotógrafa amiga nossa.

Pegamos a estrada às 11h30 am e fomos parando em diversos lugares para fotografar, vale muito a pena.

A viagem de ida durou 7 horas e a de volta, resolvemos conhecer melhor Drakensberg, então pegamos outra rota em direção a Cathedral Peak que durou 9 horas simplesmente inesquecíveis.

Ficamos hospedados em um Holiday Inn próximo ao Gateway Shopping, em uma área nova de Durban, que gostamos muito.

Este shopping é muito completo com muitas lojas, restaurantes e agito noturno.

Em South Beach tem diversos piers, de onde os surfistas saltam no mar e um parque aquático filial do Sea World, o uShaka Marine World, um passeio muito legal.

Tem show com golfinhos, focas, pingüins e você pode mergulhar com tubarões a arraias.

Além disso tem um complexo aquático com piscinas e tobogãns.

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,